- Prefira calças com corte direito. As calças à boca de sino e as calças skinny apenas ajudam a realçar o excesso de peso. A cintura  das calças deve ficar 2 dedos abaixo do umbigo.

- Nunca use roupas coladas ao corpo ( lycra nuuuunca ), mas também não exagere na largura da roupa. As roupas muito largas, escondem as formas .

- Evite tecidos muito estampados ou brilhantes engordam ainda mais. Se gosta de listras, use sempre as verticais porque alongam a silhueta, nunca as horizontais porque tem o efeito contrário.

- Prefira as cores escuras, mas não precisa de restringir o seu guarda roupa à cor preta. Uma solução é usar sapatos e malas coloridas.

- Evite tecidos muito finos porque tem tedência a colar-se ao corpo, prefira tecidos estruturados.

- Se tiver o peito grande não use golas altas, prefira decotes em forma de V.

- Evite camisolas de alça, prefira as peças com mangas porque ajudam a esconder as gordurinhas. As camisolas cai-cai também devem ser evitadas.

- Para disfarçar a barriguinha opte por camisolas tipo império, soltas na barriga e camisas com botões à frente.

- Use sapatos de salto alto, alongam a silhueta e ajudam a tornear as pernas.

- A roupa interior também é importante, aconselhe-se na loja. Prefira as cuecas cintadas e os soutiens com alça larga. Use a roupa sexy quando for sair com o seu companheiro.

E ame-se porque este é primeiro passo para ser amada pelos outros.

fonte: espaço mulher

Ingredientes:

    * 500 g de carne de vaca picada
    * 500 g de carne de porco picada
    * 2 cebolas pequenas picadas
    * 1 dl de leite
    * 1/2 dl de óleo
    * 2 colheres de sopa de farinha
    * 1 colher de sobremesa de sal
    * pimenta e noz moscada q.b.
    * 200 g de queijo flamengo em fatias grossas
    * 100 g de fiambre em fatias



Confecção:

Tempere a carne com a cebola, o leite, o óleo, sal, pimenta e noz moscada. Misture muito bem e deixe descansar 1 hora. Junte então a farinha. Mexa bem. Prepare uma folha de papel de alumínio e coloque a carne por cima, de modo a ficar igualmente espalhada e de espessura igual. Por cima ponha o queijo e depois o fiambre. Enrole como se fosse uma torta, mas tendo o cuidado de as pontas ficarem bem fechadas com carne e a “costura” ficar por baixo e bem fechada. Coloque então o rolo sem o papel, num tabuleiro untado e leve ao forno quente aproximadamente 40 minutos, dependendo da grossura do rolo. Sirva acompanhado de batatas e cebolas assadas no forno e com molho de tomate à portuguesa.

fonte: receitas e menus
A alteração hormonal que antecede cerca de 3 a 10 dias o período menstrual provoca um desequilíbrio entre as duas hormonas femininas que nesta altura do mês são produzidas – há estrogénios a mais e progesterona a menos!

- Uma série de sintomas físicos e psicológicos surgem com a denominação de Tensão Pré-Menstrual (TPM) ou Síndrome Pré-Menstrual.


- A maioria desaparece mal começa o período ou até ao final deste, mas os dias dolorosos já vividos pesam… e no mês seguinte, revivemos tudo novamente.


Sintomas físicos


• Dores de cabeça
• Aumento de apetite/desejo por certos alimentos
• Fadiga
• Redução dos níveis de energia
• Retenção de líquidos
• Aumento de peso
• Inchaço
• Seios mais sensíveis/flácidos/inchados
• Dores articulares e musculares
• Náuseas/vómitos
• Dores abdominais

Sintomas psicológicos


• Sentimentos depressivos, de tristeza e angústia
• Variações de humor
• Ansiedade/tensão
• Irritabilidade/agressividade
• Sonolência/insónia
• Dificuldades de concentração e de memória

Este síndrome pode ser atenuado. Como?
Boa leitura...

- Faça exercício físico regularmente, pelo menos 30 minutos 3 vezes por semana.

- É essencial que intensifique o treino precisamente na altura que a TPM “ataca”. Pode parecer estranho, principalmente porque é nestes dias que se arrasta de manhã à noite e só pensa em voltar para a cama, assim vai aumentar a produção de serotonina, o que vai trazer de volta o seu excelente humor e não há dores ou sentimentos negativos que resistem a quem estiver em excelente forma física e psicológica!

- Qualquer técnica de relaxamento, de respiração e de meditação é outra aliada poderosa na luta mensal contra a Tensão Pré-Menstrual, por isso, também pode intensificar ou começar as suas sessões de yoga ou de pilates.

- Descanse pelo menos 8 horas por noite.

- Adopte uma dieta equilibrada.

- Prefira alimentos diuréticos que ajudam na eliminação de água, como: agrião, morangos, melancia etc.

- Aumente o consumo de cálcio (leite, iogurtes, queijo…), que é um bom antídoto contra o inchaço e as alterações bruscas de humor.

- Os hidratos de carbono complexos (fruta, vegetais, cereais integrais, feijão) são compostos que orientam o nosso organismo de forma a ultrapassarmos da melhor forma este altura do mês.

- Beba muita água!

- O chá de camomila também é óptimo para atenuar os dolorosos espasmos musculares.

- Estudos recentes já comprovaram que aumentar o consumo de vitamina B6 (presente em brócolos, carne de porco, frango, salmão e ovos) reduz significativamente os sintomas da TPM.



- Diminua o seu consumo de sal (assim diminui a retenção de líquidos); de açúcar (reduz os níveis de ansiedade e os espasmos musculares); de café e álcool (para melhorar a tensão mamária, as dores de cabeça e a irritabilidade).

- Opte por comer cinco ou seis pequenas refeições diárias, em vez de se limitar às três principais refeições. O importante é não passar longos períodos do dia sem comer.

- A ingestão diária de 200 mg de magnésio diminui o inchaço/flacidez dos seios, a retenção de líquidos, o desejo por determinados alimentos e as alterações de humor.

- A vitamina E é um excelente antioxidante que actua ao nível da ansiedade, dos sentimentos depressivos e da tensão mamária.

- O zinco é igualmente recomendado para o alívio da Tensão Pré-Menstrual.

- Chá preto ou mate, café e refrigerantes devem devem ser eliminados do cardápio. São ricos em xantinas, que são substâncias que agravam a irritabilidade e as alterações de humor.

- Coma soja, pois segundo especialistas, pode contribuir para diminuir a dor nas mamas e a sensação de “peso” na barriga devido ao fato de conter isoflavona.

- Cuidado com os chocolates. Apesar de conterem em pouca quantidade magnésio, contêm também gorduras e cafeína, que pioram os sintomas da TPM.

- Coma fibras e beba muita água para o bom funcionamente do seu intestino. Não se esqueça que ele é o responsável, em grande parte, por eliminar algumas toxinas do corpo, inclusive aquelas que agravam a TPM e assim é menos uma coisa que a fará sentir-se inchada.

- Um estudo inglês concluiu que 10% das mulheres que sofrem de Tensão Pré-Menstrual apresentam uma sintomatologia tão grave e dolorosa que chega a afectar as suas vidas sociais e profissionais. Por isso se achar necessário é importante falar com o seu médico de família ou ginecologista. Se não toma a pílula, pode ser uma boa altura para começar, uma vez que este contraceptivo oral normalmente diminui os sintomas associados à Síndrome Pré-Menstrual.
- Fale com o seu médico sobre a toma de suplementos vitamínicos e/ou alimentares.

- Se é uma seguidora da naturopatia, procure na sua ervanária, curas alternativas e eficazes para os sintomas associados à Tensão Pré-Menstrual, tal como:
“Ginkgo Biloba” - para diminuir a tensão mamária, a retenção de líquidos, as dores de cabeça e os níveis de ansiedade;

“Erva de S. João” - um anti-depressivo natural apropriado para os sintomas psicológicos associados à TPM;

“Árvore de Castidade” ou “vitex agnus castus” - excelente contra a tensão mamária.



- Faça uma auto-massagem com movimentos circulares. Isso alivia os espasmos musculares pois já está a fazer metade do trabalho.

- Misture uma colher de óleo vegetal (gérmen de trigo ou girassol) com cinco gotas de óleo essencial de jasmim, cinco de gerânio e quatro de bergamota. Com as mãos aquecidas, massageie por alguns minutos a região do ventre e lombar com a mistura, fazendo movimentos circulares e no sentido horário.

- Coloque uma bolsa de água quente sobre o ventre. Alivia o inchaço e a dor.

- Ao deitar, posicione uma almofada sob os pés, o que activa a circulação e diminui o inchaço das pernas.

- Evite agendar compromissos importantes para os dias que antecedem a sua menstruação.

- Procura arranjar-se com roupas confortáveis mas bem bonita, mesmo que não vá sair de casa. Isso também ajuda a elevar a sua auto-estima.

- Afaste os pensamentos negativos, seja optimista e mentalize coisas boas.

- Auto percepção, auto-conhecimento e ajuda mútua são pontos básicos para se resolver os conflitos gerados pela TPM, trazendo melhora significativa na qualidade da vida pessoal, profissional, familiar e social.

- Altere a sua vida para um estilo saudável.

fonte: truques de mulher

alteração hormonal

Publicado em setembro 29, 2009
A alteração hormonal que antecede cerca de 3 a 10 dias o período menstrual provoca um desequilíbrio entre as duas hormonas femininas que nes...


 Ingredientes

6 ovos inteiros
1 pacote de chocolate em pó 125gramas (eu compro no dia)
2 chávenas de farinha
2 chávenas de açucar
1/2 chávena de óleo
1/2 chávena de leite
e se a farinha nao tiver fermento precisa de um pouquinho de fermento (mas eu já fiz com farinha normal e esqueci-me do fermento e também resultou!!! mas é melhor cumprir a receita!!!


junta-se tudo e bate-se muito bem até fazer borbulhas!!!
eu uso sempre uma forma redonda sem buraco e vai ao forno a 160 graus durante mais ou menos 40 minutos!!

O bolo fica húmido no centro e com uma casquinha estaladiça nos extremos!!!!
Para a cobertura podem usar uma cobertura de chocolate (derreter chocolate e depois cobrir o bolo) ou com um bocadinho de coco ralado tb fica bom!!!



fonte. petiscos

 Um pouco de açúcar ao cozinhar os tomates fá-los perder acidez.

O alho, a cebola e os pimentos, para uma melhor digestão, devem ser cozidos 5 minutos em água e sal, em ebulição, antes do segundo cozinhado.

As alcachofras, os aipos, os cogumelos, os rábanos, os nabos devem esfregar-se com meio limão ou lavar em água de limão ou vinagre. Isso impedirá que ao contacto com o ar fiquem escuros.

Se as batatas possuem grelo devem ser colocadas de parte, pois serão pouco nutritivas e terão pouco gosto. As batatas pequenas cozidas descascam-se mais facilmente que as grandes. Estas últimas prestam-se a ser cortadas à faca, em quartos.

Para pelar os pimentos, passe-os primeiro sobre a chama, ou mergulhe-os em água a ferver.

Para evitar as lágrimas enquanto descasca cebolas basta mantê-las submersas numa bacia com água.

A beterraba assada no forno deve ser descascada, cortada às fatias e temperada uma hora antes de levar à mesa, com uma colher e meia de açúcar e bastante sal. Depois completa-se com azeite, vinagre e salsa triturada.

Para cozer os espargos é necessário amarrá-los em feixes, divididos de modo a poderem mergulhar na água a ferver, primeiro os grossos, depois os mais finos. Com este sistema acabarão por ficar cozidos todos ao mesmo tempo.

fonte: sapo

Não proponho dietas loucas, nem sessões intermináveis de ginástica, é verdade, pode disfarçar esses quilos usando a roupa adequada.

Cor

Evite usar padrões, estes costumam salientar aquilo que pretendemos esconder. Opte por usar apenas uma cor. As cores escuras são óptimas opções porque ajudam a alongar a silhueta. Jogue com cores garridas nas carteiras, relógios, pulseiras e fios.

Jeans


Os jeans são muito usados, se tem uns quilinhos a mais deve escolher. os modelos “straight leg” ou “boot cut”, peça ajuda à vendedora. A cintura das calças deve bater no osso da anca para aquelas gordurinhas não saírem para fora. As cores escuras são as que mais favorecem, atenção às bainhas o melhor é marcar junto de uma profissional para esta não ficar demasiado curta.

Casacos

Deve optar por  casacosque batam na anca anca , escolha casacos cintados que tenha apenas uma cor. Apesar de os casacos compridos estarem na moda quem tem uns quilinhos a mais deve evitá-los , principalmente se for baixa.

Sapatos

Os sapatos são grandes aliados para alongar a silhueta, os melhores são os de salto alto e bicudos. Se tiver dúvidas experimente e vai ver a diferença.

fonte: espaço mulher

O que fazer com a roupa da estação passada? Onde e como guardá-la? Com os primeiros dias de frio, chega a hora de arranjar espaço nos armários para a roupa de Inverno. O que fazer com a roupa da estação passada? Onde e como guardá-la?

Areje e limpe os roupeiros e as gavetas. Para afastar as traças e para dar à sua roupa um toque especial, coloque nas gavetas saquinhos de flores ou frutos secos como a alfazema, a casca de limão seca e o cravo-da-índia.

Não forre as gavetas com papel autocolante pois este atrai as traças.

Cómodas e caixas de arrumação são lugares ideias para guardar a roupa da estação passada. Antes de arrumá-la, limpe-a e areje-a de maneira a evitar o aparecimento de traças.

Para que a roupa branca não fique com uma cor amarelada, coloque-a num local sem ventilação e sem humidade. Carvão vegetal ou mesmo pauzinhos de giz são ideais para diminuir a humidade nos roupeiros.

fonte: mulher portuguesa
Dicas:

    * O cabelo comprido é o mais desejado, mas as mulheres baixas devem optar por cortes médios ou curtos.
    * Opte por texturas suaves, produções monocromáticas ( uma só cor), o uso de uma só cor alonga o corpo.
    * Prefira os decote em V que alongam o pescoço, mangas amplas, golas trabalhadas realçando esta parte do corpo.
    * Outro truque é usar meias e sapatos do mesmo tom.
    * Calças vincadas.
    * Opte por sapatos com salto e com bico.
    * Opte por malas pequenas, as grandes alongam o corpo.

O que não deve usar:

    * Linhas horizontais e cintos.
    * Cabelo comprido.
    * Roupa muito estampada e cores muito fortes.
    * Coletes.
    * Corsários.
    * Vestidos muito compridos.

fonte. espaço mulher

**SALA DE ESTAR CARPETES**

As cores podem ser restauradas com auxílio de um pano humedecido numa solução, meio a meio, de sal e água. Ao usar novos tapetes de lã, lembre-se que as traças não gostam dele. O segredo é esfregar o chão com uma solução concentrada de sal e água quente antes de estender a carpete.


**LAREIRAS**



Outro segredo do sal, que possibilita às lareiras um funcionamento melhor e mais seguro:
deite um punhado de sal no chamuscar do fogo. Aprecie as bonitas labaredas amarelas enquanto o sal remove a fuligem acumulada e ajuda a evitar incêndios perigosos na chaminé.
É um segredo que vale por dois!

**PAREDES**


Ficou algum buraco feio na parede de onde tirou um quadro? Não se desespere, sózinha, poderá fazer a restauração. Misture quantidades iguais de sal e amido com água suficiente para fazer uma pasta. Os buracos serão facilmente restaurados e ninguém desconfiará.

**PEIXINHOS DOURADOS**


Ocasionalmente dissolva uma colher de chá de sal num litro de água fresca, à temperatura ambiente e coloque os seus peixinhos dourados a nadar nessa solução por uns 15 minutos, devolvendo-os após essa operação, ao aquário. Isto
os manterá saudáveis.

**SALA DE JANTAR MANCHAS NA MESA**

Não é novidade que pratos, copos quentes, ou molhados, deixam manchas brancas nas mesas. Eis um segredo para removê-las: faça uma pasta rala de óleo de salada em proporções mais ou menos iguais e esfregue a pasta sobre a mancha. Deixe em repouso por uma a 2 horas.
Em seguida remova a pasta, esfregando-a até sair. As manchas desaparecerão.

**COMIDA Na CARPETE DA SALA DE JANTAR**


Manchas de gordura nas carpetes podem ser removidas com solução de uma parte de sal para 4 partes de álcool. Esfregue sobre a mancha firmemente até esta desaparecer.

**FLORES E VASOS**



Aquele bouquet lindissimo conserva-se por mais tempo se adicionar um pouco de sal á água da jarra ou vaso. Um vaso fundo pode ser lavado despejando-se nele uma solução de sal e vinagre. Deixe-o em repouso com a solução por algum tempo, depois dê uma sacudidela enxaguando-o com água pura. Flores artificiais podem ser arrumadas artisticamente colocando-as em um leito de sal humedecido.
À medida que o sal seca, ele se solidificará, firmando as flores em definitivo no lugar.

**COZINHA QUEIJOS**


Mofos (fungos) se desenvolvem nos queijos, para evitar o mofo, antes de colocar o queijo na geladeira, enrole-o em um pano humedecido em água salgada.

**ÁGUA A FERVER**

Não vamos ensinar como ferver água, mas o sal é condutor de calor.
Assim, para aquecer mais rapidamente a comida, ponha-a num prato sobre uma panela com água, com um pouco de sal, e aqueça-a.

**PROTEÇÃO CONTRA FORMIGAS**

Não deixe as formigas fazerem um piquenique na sua casa, o sal mantem-nas afastadas da cozinha. Borrife sal ao longo dos rodapés, nos cantos e nos armários.

**FRIGORIFICOS**


Sal e solução de bicarbonato de sódio limpam e perfumam o interior do seu frigorifico, tem a vantagem de não riscar o esmalte como alguns produtos mais fortes de limpeza.

**PRATOS DE OVOS**

O sal torna melhor o sabor dos ovos, também facilita, a limpeza da louça suja de ovo.
Imediatamente após o pequeno almoço, borrife sal nos pratos para depois os lavar quando tiver tempo.

**PANELAS ENGORDURADAS**

Panelas de ferro engorduradas poderão ser facilmente lavadas se colocar um pouco de sal no seu interior e esfregá-las com um papel.

**CHÁVENAS**


Se as esfregar rápida com sal de mesa removerá as mais resistentes manchas de chá em suas xícaras.

**LIMPADOR DE FORNO**

Canela e o sal são excelentes restauradores de forno, ambos eliminam o cheiro de comida queimada. Borrife o forno enquanto quente, após secar remova as manchas de sal com uma escova dura ou pano.

**COMIDA QUEIMADA**


Deite sal rapidamente sobre a comida ou sobre a gordura quando estiverem incendiando. Nunca use água. O sal extinguirá as chamas.

**"AROMATIZANTES" SALGADOS**


O sal pode perfumar garrafas térmicas e outros recipientes fechados.
Vegetais de aroma forte ficarão suavizados se colocados por 2 ou 3 minutos em água a ferver. Depois, lave-os por 2 ou 3 minutos em água, cozinhando-os normalmente.
Aves domésticas ficam mais saborosas se esfregadas com sal, por dentro e fora, antes de serem colocadas para assar. Retire o amargo das cafeteiras, enchendo-as com água e adicionando 4 colheres de sopa de sal.
Depois enxugue-as em água corrente. Perfume o hálito, após comer cebolas, mordendo uma ou duas fatias de limão bem salgado.
O cheiro desagradável de cebola e eventuais manchas de frutas e legumes nas mãos, poderão ser retirados com sal.

**SAL PARA GOURMETS**


Revigore as saladas borrifando sal antes de servi-las. Se colocou sal demais na sopa, recupere-a, colocando fatias de 1 ou 2 batatas para absorver o excesso.
Depois é só retirar as batatas e usá-las para outra finalidade.
Esfregue a grelha com um pequeno saco de pano cheio de sal para evitar que a comida se pegue ou queime. Use o mesmo artifício quando fritar peixe, borrife a frigideira com um pouco de sal.

**LIMPEZA TOTAL**

Para retirar o cheiro e evitar que o cano do lava-louças fique entupido pela gordura, use uma salmoura concentrada. Esfregue as tábuas de pão e cortar, não pintadas, com um pano embebido em sal depois de terem sido lavadas com sabão e água; elas ficarão mais novas.

Vassouras novas conservam-se melhor, se mergulhadas em água salgada quente.

Você pode dar vida nova às esponjas, colocando-as em água fria salgada, após o uso.

**TRATAMENTO DE BELEZA NA CASA DE BANHO**

Sal e óleo de oliva, são o melhor estimulante facial, misturados em forma de pasta.

A fricção do sal e a lubrificação do óleo dão novo tom à pele cansada ou bronzeada em excesso.

**BANHOS DE SAL**

Para ajudar a relaxar a tensão, massage a pele húmida com sal antes do banho.

Pés cansados sempre respondem bem a um banho quente de água e sal.

**TRATAMENTOS COM SAL**


Um gargarejo com água e sal muitas vezes alivia irritações da garganta e boca.

O seu dentista, provavelmente irá ensinar-lhe que usar partes iguais de sal e bicarbonato de sódio é óptimo para limpar os dentes e conservar as gengivas saudáveis.

A mesma mistura também perfuma o hálito. Imite a natureza fabricando lágrimas: 1/2 colher de chá de sal em 1/2 litro, alivia tensões e descansa os olhos.

**REALÇAR AS CORES**

Antigamente, era comum as donas-de-casa lavarem chita com água e sal para fixar a cor. Hoje as cores dos tecidos já vêm fixadas, podendo ir á máquina de lavar sem problemas. Entretanto, o sal torna mais clara as cortinas laváveis e tapetes de fibra.

**LAVAGEM DE ROUPA*


Retire as manchas de suor das roupas, colocando-as de molho em água com sal antes de lavá-las (4 colheres de sopa em 1 litro de água).
Branqueie os tecidos de algodão ou linho amarelecidos, fervendo-os por 1 hora em solução de sal e bicarbonato de sódio. Em climas muitos frios, as roupas não deverão congelar no estendal, se acrescentar um pouco de sal na última enxaguadela.
Tire as manchas de roupas (inclusive as manchas de sangue), colocando-as de molho em água fria com sal; lave com água morna, depois coloque-as em água com sabão e ferva após a lavagem.
Precaução: Só tecidos de algodão, linho ou outros que sejam resistentes a altas temperaturas.

**MÁGICA-MOFO**


Quando as roupas ou artigos de casa cheirarem a mofo, molhe os locais manchados com uma mistura de sumo de limão e sal, depois estenda-os ao sol, no estendal. Complete o tratamento com uma lavagem completa e secagem.

**QUINTAL CUIDADOS COM ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO**


Pulgas gostam tão pouco de sal quanto os animais de estimação gostam delas.
Para afugentá-las, experimente borrifar sal no seu cão ou gato. Isso ajuda a afastá-las.

**LIMPEZA DE BRONZE**


açanetas e outras peças de bronze adquirem novo brilho se esfregadas com uma pasta de sal, obtida misturando-se partes iguais de sal, farinha de trigo e
vinagre. Deixe por 1 hora ou mais, depois limpe com um pano macio ou escova para dar o polimento final. Para peças de cobre, proceda do mesmo modo.

**PÁRA-BRISAS DE CARROS**


Esfregue um pouco de sal humedecido na parte externa do pára-brisa de seu carro para evitar aderência do gelo, neve ou geada.

**PASSAGENS E CAMINHOS**


No inverno, espalhe sal nas passagens e caminhos, para evitar o endurecimento do gelo e da neve. Para derreter o gelo e a neve, espalhe sal na calçada, na base de 270 gramas por metro quadrado. "divirta-se" da cara dos seus vizinhos espalhando sal assim que a neve começar a cair. Ao amanhecer, a sua calçada será a única limpa nas redondezas (isto se não nevar mais do que 7,5 cm).

fonte: mulher portuguesa
Desengane-se se pensa que a gravidez só lhe provoca algumas alterações físicas. Durante os nove meses de gestação é frequente surgirem sintomas relacionados com a visão. Saiba porque é que ocorrem essas alterações e conheça a melhor forma de lidar com elas.


Durante a gravidez, dão-se muitas alterações hormonais intensas que afectam a mulher, tanto psicologicamente, como fisicamente. Se está grávida, não deve pensar apenas em ir ao dentista ou ao seu médico assistente. Considere a hipótese de consultar um oftalmologista. Este órgão tão importante é muitas vezes relegado para segundo plano.

Com frequência, algumas mulheres começam a aperceber-se que vêem mal ao longe ou ao perto. Isto acontece porque os líquidos a mais no organismo provocam uma alteração na forma da íris. Os canais lacrimais segregam menos líquido e, consequentemente, ficam mais secos.
Doenças como a rubéola e a toxoplasmose podem afectar as mães nos primeiros três meses de gravidez e podem causar cegueira e problemas neurológicos na criança. As alterações na visão podem causar desconforto se usar lentes de contacto e podem provocar sintomas, tais como, vista cansada ou dores de cabeça.
Passados alguns meses, tudo voltará ao normal. Deve ainda ter a noção de que as dores de cabeça e algumas perturbações da visão, particularmente no último trimestre, podem ser o indício de tensão arterial elevada.


Doenças na grávida que afectam a visão

É ainda preocupante o facto de algumas gestantes desenvolverem doenças, como a hipertensão ou a diabetes, que podem resultar em alterações secundárias, envolvendo a retina e o nervo óptico. A grávida pode desenvolver retinopatia, caracterizada por alterações nos vasos da retina, provocadas por diabetes ou pela pressão arterial alta. Se está grávida e é diabética, redobre os cuidados oftalmológicos antes da gravidez e durante os nove meses. Recomenda-se que as mulheres grávidas diabéticas marquem uma consulta no primeiro trimestre de gestação porque a retinopatia pode progredir muito rapidamente durante este período.

Miopia

Esta anomalia visual é justificada pelo aumento de estrogénios durante a gravidez. A córnea aumenta em termos de espessura e sensibilidade, tornando o uso de lentes de contacto mais complicado no começo da gestação e completamente insuportável a partir do sétimo mês. A miopia consiste num aumento do comprimento do olho, o que faz com que a imagem chegue desfocada ao interior.
É também comum que, no final da gestação, a futura mamã note que a sua visão ao longe está a diminuir substancialmente. Por outro lado, se sofrer de algum edema, é normal que denote algumas alterações na focagem de um objecto que se encontre mais perto.

Olho seco, sensibilidade à luz

O olho seco é um problema temporário que desaparece logo após o nascimento do seu bebé. Seria ideal se conseguisse usar lágrimas artificiais para garantir maior bem-estar durante a gestação. O oftalmologista pode ainda recomendar-lhe o uso de um lubrificante em colírio ou gel, tratamento inócuo, pois tem apenas uma actuação local. Durante os nove meses de gravidez, pode também desenvolver alguma sensibilidade à luz, um dos principais sintomas de enxaqueca, que pode ser acentuada com as variações hormonais.





Fim da gravidez, diminuição dos problemas visuais


Geralmente, estas alterações visuais ocorrem devido ao inchaço e voltam ao normal após a gestação ou até antes. Se a pressão arterial voltar ao normal, poderá assistir a uma regressão do quadro clínico. As únicas patologias que não regridem são as que não se relacionam directamente com a gravidez. Não compensa mudar de óculos durante a gestação.
As mudanças de grau são apenas transitórias. O normal é manter os óculos até ao nascimento do seu bebé e rever o graduação posteriormente pois poderá voltar a sofrer alterações de graduação até ao fim dos nove meses. Uma consulta oftalmológica de rotina depois do nascimento do seu bebé é fundamental.
Durante os nove meses, sintomas como desconforto provocado pelas lentes de contacto, mudanças no grau, olho seco, inchaço nas pálpebras e maior sensibilidade à luz são considerados normais. Se desenvolver qualquer outra mudança visual, deve procurar ajuda especializada e verificar o que se passa. É necessário agir cedo para evitar problemas no futuro!

O que fazer?


- Faça um exame aos olhos para ver se necessita temporariamente de um par de óculos.
- Se usar lentes de contacto rígidas, poderá ter de mudar para lentes moles ou óculos. - Informe sempre o seu médico se notar problemas fora do normal.
- Caso tenha diabetes ou pressão arterial alta, deverá ser acompanhada constantemente por um oftalmologista.
- O Ómega 3, encontrado em alguns peixes e vegetais, ajuda a prevenir algumas doenças oculares, segundo um estudo de cientistas americanos e suecos divulgado na revista científica britânica Nature Medicine. O Ómega 3 permite evitar o desenvolvimento da retinopatia de prematuridade, que afecta os bebés antes das 37 semanas de gestação, e da retinopatia diabética. Fale com o seu médico assistente ou nutricionista e saiba quais os alimentos mais saudáveis para si.
- Não relegue os olhos para segundo plano.

Lembre-se que eles podem esconder alguns problemas e alterações significativas durante a gestação. Deve colocar a visão no topo das suas preocupações.

Destaques

“É ainda preocupante o facto de algumas gestantes desenvolverem doenças, como a hipertensão ou a diabetes, que podem resultar em alterações secundárias, envolvendo a retina e o nervo óptico”

“O normal é manter os óculos até ao nascimento do seu bebé e rever o graduação posteriormente pois poderá voltar a sofrer alterações de grau até ao fim dos nove meses”

“Durante os nove meses de gravidez, sintomas como desconforto provocado pelas lentes de contacto, mudanças no grau, olho seco, inchaço nas pálpebras e maior sensibilidade à luz são considerados normais”

“Doenças como a rubéola e a toxoplasmose podem afectar as mães nos primeiros três meses de gravidez e podem causar cegueira e problemas neurológicos na criança”

fonte: sapo

Visão e gravidez! A relação invisível

Publicado em setembro 21, 2009
Desengane-se se pensa que a gravidez só lhe provoca algumas alterações físicas. Durante os nove meses de gestação é frequente surgirem sinto...

Ingredientes:

1 kg de carne de vitela mirandesa (250 g por pessoa), 2 cenouras, 2 cebolas, 2 dl de vinho branco maduro seco azeite, manteiga, sal a gosto.
Preparação:

Antes de iniciar a confecção deste prato acenda o forno à temperatura máxima (250 ºC). Num tabuleiro que possa ir ao forno deite o azeite e a manteiga em partes iguais e deixe aquecer ao lume. Quando estiver bem quente introduza a peça de carne e deixe-a alourar de todos os lados em lume forte, para evitar a saída dos sucos da carne.

Corte em rodelas grossas as cenouras e as cebolas e junte-as à carne.

Tempere com sal a gosto e regue (deglacer) a carne com o vinho branco maduro seco. Leve o tabuleiro ao forno (250 ºC) durante 3/4 de hora a uma hora. Durante este período vá regando e voltando a carne.

Acompanhamento: batatas douradas no forno, cogumelos salteados e dourados no forno. Coloque a carne numa travessa e regue-a com o molho do assado.

fonte: www.mirandesa.pt


As botas são sempre o toque final na moda Outono-Inverno.

Este ano usam-se botas de todos estilos e tamanhos. Os canos variam entre os curtos, altos e médios, os saltos altos e baixos e os bicos finos e redondos.Vale tudo.

Mas na hora de comprar temos de ter atenção ao nosso tipo de corpo e ao tipo de roupa .

-Quem tem pernas grossas e quer usar saias, vestidos e calções curtos deve evitar botas com canos baixos porque estas cortam a barriga da perna aumentando a largura desta.

-Quem tem pernas finas pode usar todo o tipo de botas mas deve usar meias com texturas, este tipo de meias ajudam a tornar a perna mais bonita.

-Se aderiu à moda das saia compridas deve usar botas de cano alto e salto para ficar mais elegante porque alongam a perna.

-Se prefere os microvestidos opte por botas sem salto.

- Evite usar calças curtas , corsários, saias e vestidos até ao joélho com botas porque fazem as pernas pequenas.

- Esta estação as cores dominantes são o preto e o branco, mas pode e deve misturar muitas cores, a beringela ( cor da estação), o laranja, o azul forte…Conjuge as suas botas com meias coloridas.

fonte: espaço mulher

Podendo ser múltiplas as formas de transmitir («não é um, são dois!»; «não são dois, são três!») e receber a notícia («isto não me está a acontecer a mim...»; «pelo menos fico já despachada: e que seja uma menina e um rapaz!»), achamos importante que um casal com uma gravidez multifetal (gemelar ou múltipla) tenha a percepção exacta do que isso significa. Por outro lado, sendo um dado adquirido que a reprodução medicamente assistida aumenta a taxa de gestações gemelares, antes de a ela recorrerem os casais deverão estar conscientes das implicações que isso possa ter.

Alguns factos acerca da gravidez múltipla

A partir dos anos 80, o nascimento de gémeos aumentou de forma exponencial representando hoje cerca de 1.5% dos nascimentos. Este aumento foi atribuído quer ao recurso às técnicas de reprodução medicamente assistida quer ao aumento da idade materna na altura da concepção, factores implicados no aumento da taxa de gestações gemelares.

Uma gravidez gemelar pode resultar :

1. da fecundação de 2 óvulos por dois espermatozóides (gémeos bivitelinos, dizigóticos ou «falsos») ou

2. da subdivisão em duas unidades geneticamente idênticas de um único ovo fecundado por um espermatozóide (gémeos univitelinos, monozigóticos ou «verdadeiros»).

Existem ainda situações de extrema raridade no seio de uma situação já de si rara como a gravidez múltipla, que são a superfecundação e a superfetação.
A superfecundação refere-se à concepção de gémeos dizigóticos de pais diferentes.
Isto ocorre quando num mesmo ciclo a mulher liberta dois óvulos e mantêm relações sexuais com dois parceiros diferentes, possibilitando a fecundação de cada um dos óvulos por espermatozoides de cada um dos parceiros.
A superfetação refere-se à fertilização de dois óvulos provenientes de ciclos ovulatórios diferentes. Assim, uma mulher grávida de um feto único e contrariamente ao que normalmente acontece, continua a ovular, engravidando de novo. A mulher passaria, então, a ter uma gravidez gemelar dizigótica, com fetos de idades gestacionais diferentes...

As gestações monozigóticas ocorrem menos frequentemente que a gravidez gemelar bizigótica (proporção de 1:2).
A influência de factores maternos como a idade avançada, história prévia ou familiar de gravidez gemelar, obesidade, multiparidade e o uso de técnicas de reprodução medicamente assistida tem condicionado, ao longo dos tempos um aumento na incidência de gestações gemelares dizigóticas.
Até há poucos anos, considerava-se a taxa de gestações monozigóticas constante. Foi no entanto demonstrado que embora o recurso a drogas indutoras da ovulação nas situações de reprodução medicamente assistida resulte na maior parte das vezes numa gravidez gemelar dizigótica, aumenta em cerca de oito vezes a taxa de gestações gemelares monozigóticas na população em geral. Não se deve, portanto, partir do princípio que um gravidez gemelar é dizigótica só pelo facto de ser resultante do uso de substâncias químicas para a indução da ovulação.

Numa gravidez dizigótica, existem sempre:

• dois fetos, podendo ou não ser do mesmo sexo
• duas placentas separadas ou fundidas
• dois sacos amnióticos.

Numa gravidez monozigótica, dependendo do tempo decorrido entre a fecundação do ovo pelo espermatozóide e a divisão do óvulo em dois, existem sempre dois fetos do mesmo sexo e:

1. duas placentas e dois sacos amnióticos (gravidez dicoriónica, biamniótica) se a divisão ocorreu até ao 3º dia, representando cerca de 25% das gestações monozigóticas;

2. uma placenta e dois sacos amnióticos (gravidez monocoriónica biamniótica) se a divisão ocorreu entre o 4º e o 8º dia pós-fertilização, em 75% das situações;

3. uma placenta e um saco amniótico (gravidez monocoriónica monoamniótica) se a divisão ocorreu depois do 8º dia e antes do 13º pós-fertilização, ocorrendo em cerca de 1% das situações;

4. uma placenta, um saco amniótico e gémeos siameses se a divisão ocorre após o 13º dia pós-fertilização (entidade clínica muito rara).


Classificação das gestações gemelares:
- Gravidez Gemelar Dizigótica
- Dicoriónica biamniótica

- Gravidez Gemelar Monozigótica
- Dicoriónica biamniótica
- Monocoriónica biamniótica
- Monocoriónica monoamniótica
- Monocoriónica monoamniótica (gémeos siameses)


Apesar dos gémeos representarem apenas cerca de 2% do número total de nascimentos, são responsáveis por 11% da mortalidade neonatal sendo esta três vezes superior nas gestações monozigóticas do que nas dizigóticas.
Para além disso, dentro das gestações monozigóticas, as detentoras de uma só placenta (monocoriónicas) apresentam uma maior morbilidade e mortalidade perinatais (taxas de mortalidade perinatal de 10% em gestações dicoriónicas, 25% nas monocoriónicas biamnióticas e 50% nas monocoriónicas monoamnióticas).
Assim, a gravidez gemelar não é um grupo homogéneo de risco, sendo a determinação do número de placentas (corionicidade) o factor que mais influencia o futuro da gravidez múltipla.
Percebe agora a importância de quando fizer a 1ª ecografia, caso seja uma gravidez gemelar, perguntar ao médico ecografista se é portadora de uma gravidez mono ou bicoriónica.



Diagnóstico

Antes do uso mais alargado da ecografia em obstetrícia, não era incomum o nascimento de gémeos sem diagnóstico prévio, havendo alguns centros em que 50% dos nascimentos dos gémeos ocorria nestas condições.
O volume uterino mantêm-se sem grandes discrepâncias relativamente ao de uma gravidez simples até às 13 semanas altura a partir da qual se inicia um crescimento rápido que pode levar à suspeita clínica de uma gravidez gemelar. Um aumento de peso superior ao esperado, a referência pela grávida a movimentos fetais múltiplos, a palpação transabdominal das várias partes fetais, a auscultação de mais do que um tipo de batimentos cardíacos fetais levavam à suspeita clínica, muitas vezes confirmada com uma radiografia ao abdómen materno. Foram tempos passados.

Nos nossos dias, o diagnóstico de uma gravidez gemelar é habitualmente, feito numa fase precoce da gravidez, através da realização de uma ecografia. Utilizando a via transvaginal é possível diagnosticar uma gravidez gemelar desde as 6 semanas de gestação. Nesta fase muito precoce da gravidez, se é importante o diagnóstico e caracterização da gravidez gemelar é também importante transmitir à grávida a grande probabilidade de aborto de pelo menos um dos embriões.
Como vimos atrás, existem vários tipos de gestações gemelares sendo estes determinantes no prognóstico da gravidez.

Vai ser com base nos dados da primeira ecografia que a classificação é feita, tendo em conta as respostas do ecografista às seguintes questões:

• quantos embriões / fetos?
• quantas placentas?
• quantos sacos amnióticos?
• quais os sexos fetais (no 2º trimestre)?

A caracterização da gravidez gemelar, no que diz respeito à corionicidade, número de placentas e/ou relação entre elas, é sempre possível no 1º trimestre, tornando-se progressivamente mais difícil à medida que os fetos vão crescendo.
O diagnóstico ecográfico do tipo de gravidez gemelar baseia-se, não só no número de fetos e sacos amnióticos mas também no número de placentas; o número de placentas nem sempre é fácil determinar quando estas se encontram próximas pelo que se procuram sinais ecográficos muito difíceis de avaliar a partir do 2ºtrimestre.
Na altura do parto é importante o diagnóstico das apresentações fetais para decisão do tipo de parto: também aqui é utilizada a ecografia; de igual modo muitos centros já utilizam esta técnica para a monitorização intra-parto da posição do segundo gémeo após o nascimento do primeiro.


Vigilância Pré-Natal na Gravidez Múltipla

A vigilância de uma gravidez gemelar ou múltipla, é diferente da de uma gestação simples. Assim:

• As consultas são mais frequentes, devendo a grávida ser observada cada 2 a 3 semanas, no intuito de despistar situações que ocorrem com maior frequência na gravidez gemelar tais como: hipertensão arterial, infecção, parto pré-termo.
A gravidez gemelar, pelo risco acrescido materno e fetal, deverá ser referenciada pelos Médicos de Família para as consultas de Medicina Materno-Fetal do hospital da área de residência.
• As ecografias, habitualmente três numa gravidez simples, também deverão ser mais frequentes:

Ecografia do 1º trimestre realizada entre as 11-13 semanas, serve para:
• diagnosticar a gravidez, determinar o número de fetos e caracterizar a gravidez gemelar (o número de embriões, sacos e placentas);
• rastreio de anomalias congénitas (o estudo da morfologia embriofetal e a medição da translucência da nuca);

Ecografia do 2ºtrimestre realizada entre as 20- 22 semanas, serve para:
• rastreio de anomalias congénitas (estudo da morfologia fetal numa fase mais tardia do desenvolvimento; nesta fase é possível avaliar estruturas e órgãos que no primeiro trimestre ainda não são facilmente estudados como por exemplo, o coração) e avaliação do crescimento fetal;
• morfologia placentar , do cordão umbilical e do líquido amniótico
• a medição do colo por ecografia transvaginal às 24 semanas serve para determinar o risco de parto pré-termo, podendo a mesma ser repetida caso surja sintomatologia sugestiva de contractilidade uterina.

Ecografia do 3ºtrimestre realizada a partir das 26-28 semanas, podendo ser repetida todas as 4 semanas, serve para:
• avaliação do crescimento e da posição dos fetos;
• localização placentar, avaliação do líquido amniótico e de outros parâmetros de bem estar fetal.

• Os exames laboratoriais:

A periodicidade da realização de análises durante a gravidez vai depender de imensos factores que só obviamente numa base individualizável podem ser planeados. A existência de uma consulta preconcepcional permite a avaliação de determinadas características da grávida nomeadamente no que diz respeito ao seu grupo sanguíneo e ao seu estado de imunidade a infecções provocadas pela Toxoplamose, Rubéola, Sífilis, Hepatite B, VIH 1 e 2 e rastreio de alterações hematológicas.
De um modo geral, salvaguardando situações individuais, as análises habitualmente realizadas são:

1º trimestre:
• Repetição das realizadas na rotina preconcepcional;

2º trimestre:
• possibilidade de realização de amniocentese (15-16 semanas) para diagnóstico prénatal das situações para as quais tenha sido previamente identificado um risco particular (por exemplo diagnóstico de anomalias cromossómicas em mulheres com idade superior a 33 anos idade);
• repetição das análises realizadas no 1º trimestre acrescido do rastreio da diabetes gestacional (24-28 semanas);

3º trimestre: repetição das análises realizadas no 2º trimestre acrescida da realização de um exsudado vaginal.


Alimentação

Se se encontra grávida de gémeos, vai necessitar de comer mais do que se estivesse grávida apenas de um feto. Comer bem e aumentar de peso é importante para si e para os seus filhos. Necessitará ingerir cerca de 2700 calorias por dia, para suplementar as necessidades do seu corpo e as dos seus filhos.

O seu médico prescrever-lhe-á suplementos de vitaminas e minerais para ajudar ao crescimento fetal. A anemia (por déficit de ferro) é mais comum em grávidas de gémeos, sendo por isso especialmente importante a toma dos medicamentos prescritos pelo seu médico.
Do mesmo modo, estando grávida de gémeos implica um maior aumento de peso relativamente a uma gravidez simples. Planeie um aumento ponderal entre 15 a 20 Kg. Na primeira metade da gravidez, deverá aumentar cerca de 450 gramas por semana. Na segunda metade, ligeiramente acima das 450 gramas semanais.


Actividade física

Uma gravidez de gémeos pode ser bastante mais desconfortável do que uma gravidez simples, devido ao volume uterino ser bastante superior.
Descansar 2 horas de manhã e 2 horas à tarde, deitada de lado na cama, depois de um sono nocturno de 8 a 10 horas, dar-lhe-á mais energia. Evite estar de pé por longos períodos bem como pegar em pesos.
Fale com o seu médico sobre o seu emprego e sobre as suas actividades domésticas.
Algumas mulheres podem ter que restringir ou suspender a sua actividade como prevenção ou mesmo pelo aparecimento de complicações, podendo ser necessário permanecer acamadas durante várias semanas. É, por isso, importante trocar impressões com o seu médico sobre o tipo de actividade que lhe é permitido.

Complicações

O risco de algumas complicações obstétricas é maior na gestação múltipla. As grávidas desenvolvem mais frequentemente hipertensão arterial ou anemia e os RN tendem a ter menor peso ao nascer. Existe ainda um maior risco de parto pré-termo. Estas complicações obstétricas podem, por vezes, ser prevenidas com uma detecção precoce e tratamento adequado.

Parto pré-termo

A existência, antes das 37 ª semana de gestação de contracções uterinas frequentes, regulares, com modificações do colo do útero (encurtamento/ dilatação) é considerado um trabalho de parto pré-termo.
Na gravidez gemelar, pensa-se que pela maior distensão uterina, o parto pré-termo tem uma incidência elevada e é o principal responsável pela morbilidade perinatal. O repouso no leito entre as 27 e as 34 semanas parece efectivamente prolongar o tempo de gravidez. Uma outra medida profilática consiste na detecção precoce e tratamento agressivo das infecções, sendo dado adquirido a sua implicação no parto pré-termo.

São sinais de alerta:

- contracções regulares
- dor lombar baixa, constante
- dores abdominais tipo menstruação, com ou sem alterações de trânsito intestinal
- sensação de peso nos quadrantes inferiores do abdómen
- modificações das características ou da quantidade do corrimento vaginal (sanguinolento, mucoso, aquoso)
- ruptura de membranas, com saída de líquido amniótico.


Ruptura prematura de membranas

As membranas que contêm o líquido amniótico, costumam romper-se no início do trabalho de parto; por vezes isto acontece antes do início do trabalho de parto, designando-se por isso, de ruptura prematura de membranas.
Quando um ou ambos os sacos amnióticos se rompem, a grávida tem um maior risco de infecção e parto pré-termo.
Nesta situação, podem ter que lhe ser admnistrados fármacos designados genericamente por corticoides para acelerar a maturação pulmonar fetal, ficando a grávida internada, habitualmente acamada, aguardando o efeito dos mesmos. Nesse período a grávida é avaliada, periodicamente, no sentido de detectar sinais de infecção e/ou suspeita de sofrimento fetal.


Hipertensão

A gravidez cursa, habitualmente, com uma descida dos valores de tensão arterial durante o 2º trimestre, fruto das adaptações a que o organismo materno é submetido. A subida da tensão arterial em grávidas normotensas até então ou com hipertensão prévia à gravidez, constitui um dos principais factores causais de morbilidade e mortalidade materna e perinatal.
Esta subida patológica da tensão arterial cuja etiologia ainda hoje se desconhece, pode acompanhar-se de sinais e sintomas com os quais deverá estar familiarizada e que deverão constituir motivo para contactar o seu médico:

- dores de cabeça severas ou constantes
- edemas, sobretudo da face (o edema dos pés e pernas no final do dia é uma queixa frequente e relativamente benigna nas grávidas no final da gravidez; um aparecimento ou agravamento súbito do edema já pode ter um prognóstico diferente, devendo, por isso ser consultado o seu médico assistente).
- visão turva ou sensação de ver pontos cintilantes mesmo com olhos fechados
- aumento de peso brusco, superior a 450gr por dia
- dor no quadrante superior direito do abdómen ou dor epigástrica.

Quando se constata a presença de uma subida tensional durante a gravidez, poderá estar indicado o repouso absoluto, o internamento hospitalar com administração de drogas ou mesmo a indução do parto, dependendo da gravidade da situação.


Malformações

É um facto que as malformações congénitas são mais frequentes nas gestações múltiplas do que nas de feto único, embora este aumento pareça estar confinado às gestações monozigóticas.
Quanto ao tipo de malformações estas podem ser divididas em:

• específicas das gestações monozigóticas (gémeos siameses, feto acárdico, fetus in fetu)
• mais frequentes em gestações múltiplas (alguns defeitos cardíacos, atrésia esofágica, defeitos de posicionamento devido ao pouco espaço por «sobrelotação uterina»)
• as que ocorrem com igual frequência à das gestações simples.

A existência de malformações num ou em ambos os gémeos (existem situações em que um dos fetos apresenta malformação estrutural ou cromossómica e o outro não), dependendo do tipo de malformação e do tempo de gestação pode acabar por condicionar dilemas graves ao casal.

Problemas de crescimento
O crescimento fetal na gravidez múltipla é habitualmente inferior ao de uma gravidez simples, sem isso implicar um risco acrescido; no entanto, mais frequentemente os fetos de uma gravidez múltipla podem sofrer alterações de crescimento que impliquem uma vigilância mais apertada no intuito de diminuir a morbimortalidade fetal.
Referimo-nos a situações de atraso de crescimento intrauterino (crescimento fetal demasiado lento, mesmo para gémeos) e crecimento fetal discordante (um dos gémeos tem um peso estimado que difere do outro em cerca de 20 – 25%).
As alterações de crescimento fetal podem têm múltiplas causas e graus de gravidade, condicionando por isso diferentes atitudes clínicas que vão do simples repouso à indução do parto, passando pela necessidade de interrupção médica da gravidez.


Perda fetal

Em algumas gestações múltiplas, ocorre a morte intra-uterina precoce de um dos gémeos. Quando isto ocorre numa fase precoce da gravidez, o embrião que deixou de se desenvolver é empurrado contra a parede uterina pelo crescimento do outro, sofrendo um processo de absorção total (fenómeno do gémeo desaparecido) ou, se um pouco mais tardiamente, sofrendo atrofia e sendo expulso na altura do parto, apresentando-se mumificado (feto papiráceo); os riscos para a mãe ou para o outro feto são praticamente nulos, vigiando-se a gravidez como se de uma gestação simples se tratasse. Com a realização de ecografias em fases cada vez mais precoces, sabe-se hoje que uma grande percentagem de gestações são, numa fase inicial, gemelares em que um dos fetos sofre
reabsorção ou é mesmo abortado, prosseguindo a gravidez como se de feto único se tratasse.
Quando a morte intra-uterina de um dos fetos ocorre numa fase avançada de gestação, particularmente se trata de um gestação monocoriónica, existe risco de lesão neurológica para o feto sobrevivente. Isto parece dever-se ao facto de, no momento da morte de um dos gémeos haver uma passagem brusca e intensa de sangue do feto vivo, com as consequências equivalentes à de uma hemorragia aguda e abundante.

O Parto na Gravidez Múltipla

Programe as aulas de preparação para o parto para serem realizadas antes das 27 semanas, e informe-se sobre associações de gémeos existentes que poderá contactar e onde terá acesso a informações sobre material de puericultura especial para gémeos e objectos e roupa que já pertenceram a outros mas que pela pouca utilização ficam normalmente novas podendo ser usadas por outros gémeos. Não deixe passar o tempo e prepare a sua mala para a maternidade cedo. Em qualquer momento pode ser precisa...
O parto de uma gravidez gemelar é sempre vivenciado de uma forma diferente do de uma gravidez simples quer pelo casal quer pela equipa obstétrica.
A equipa multidisciplinar é mais alargada que no caso de um parto simples, estando presentes um anestesiologista, dois pediatras, dois obstetras e duas enfermeiras.
O trabalho de parto é habitualmente mais prolongado numa gravidez gemelar do que numa gravidez simples, particularmente o período expulsivo e frequentemente é utilizado um ecógrafo na sala de partos, para monitorizar a situação e apresentação do segundo feto após o nascimento do primeiro.

Tipo de parto

O tipo de parto de uma gravidez gemelar depende de vários factores:

1. Tipo de gravidez gemelar
É indicação para parto por cesariana o facto de se tratar de uma gravidez gemelar
monoamniótica (dois fetos no mesmo saco);
Muitos centros advogam a realização de cesariana em gestações multifetais
(trigemelares, quadrigemelares, etc) embora outros decidam a via de parto de acordo
com o tipo de apresentação, factores gestacionais e maternos. De uma forma geral, a
taxa de cesarianas é substancialmente superior nas gestações gemelares com mais de
dois fetos, particularmente nas mulheres submetidas a tratamento por infertilidade.

2. Posições fetais
A via de parto é usualmente vaginal :
• nas gestações gemelares em que ambos os fetos se encontram em apresentação cefálica;
• se o primeiro feto(o que se encontra mais próximo do colo do útero ou gémeo A) se encontra em apresentação cefálica e o segundo (gémeo B) se encontra pélvico, tal também é possível; nestes casos, o segundo feto poderá nascer quer em apresentação pélvica quer, após uma tentativa
conseguida de versão externa ou após versão espontânea em apresentação cefálica.

A via de parto é usualmente por cesariana quando o primeiro feto se encontra em apresentação pélvica ou transversa, independentemente do tipo de apresentação do segundo feto.
3. Bem estar materno e fetal
Sempre que surjam sinais, através da monitorização fetal contínua, intraparto, de suspeita de sofrimento fetal, está indicada uma cesariana independentemente de não haver contra-indicação para o parto por via vaginal pelos factores restantes.
De igual modo, caso existam determinados tipos de malformações cujo prognóstico o parto por via vaginal possa agravar ou ser impossível, a cesariana é a via de parto indicada.

Intervalo entre nascimentos

Antigamente pensava-se que os riscos para o 2º feto resultante de um intervalo entre os nascimentos de 30 ou mais minutos, suplantava os eventuais riscos decorrentes de uma intervenção activa. No entanto, desde o uso de monitorização fetal contínua intraparto, muitos obstetras só recomendam uma intervenção activa caso hajam sinais de sofrimento fetal.
Ocasionalmente, existem intervalos de vários dias, semanas ou meses entre o nascimento de dois gémeos. Alguns, mas não todos, estiveram associados a situações de malformações uterinas. Em outros casos, o intervalo é propositadamente, com um intuito terapêutico, prolongado por inibição do trabalho de parto (administração de fármacos para inibir o trabalho de parto) para permitir que o feto restante possa adquirir maturidade e nasça em melhores condições.

Tipo de anestesia

Muitos anestesistas com experiência em obstetrícia são de opinião de que o tipo de analgesia ideal para um parto de gémeos é a epidural, tendo-se tornado rotina o seu uso quer nos partos por cesariana quer por via vaginal. No último caso, não só tem o importante papel de alívio da dor mas possibilita, caso seja necessário, uma rápida actuação no caso de uma cesariana de emergência para o 2º feto. Nestes casos, uma anestesia geral teria como desvantagem a privação do 2º feto da relação materna precoce já gozada pelo 1º feto.


Puerpério

A maioria dos gémeos quando nascem ficam junto das mães, necessitando dos mesmos cuidados que outro recém-nascido saudável.
Caso o nascimento ocorra pré-termo, dependendo da idade gestacional, pode haver necessidade de ficarem internados numa unidade de cuidados intensivos neonatais por períodos variáveis.
Quanto à amamentação, o leite materno é o melhor alimento para os recém-nascidos, gémeos ou não; caso o nascimento ocorra numa fase muito pré-termo, pode ser retirado leite com uma bomba e guardado, para administração por biberão aguardando uma fase em eles já tenham força suficiente para o conseguirem extrair da mama.

A amamentação tem como vantagens:
• para os recém-nascido:
- prevenção de infecções
- mudança automática da composição do leite à medida que vão crescendo maior contacto físico com a mãe

• para a mãe:
- custos económicos
- poupar tempo na preparação (limpeza, esterilização,...) de biberões menos equipamento com que tem que andar para se poder deslocar maior contacto físico com os filhos.

Tem como desvantagem apenas a mãe poder alimentar os filhos, não podendo beneficiar da ajuda de outros bem como de uns primeiros tempos mais difíceis relativamente a cansaço, problemas com os mamilos, dores nas costas.

A amamentação por biberão tem como vantagens:
• outras pessoas podem ajudar
• é mais fácil deixar os filhos, sem a pressão de ter que regressar a tempo da mamada
• a rotina pode ser mais facilmente estabelecida

Tem como devantagens:
• os custos
• o tempo, espaço e equipamento necessários
• menor contacto físico com os filhos
• a necessidade de adaptação e mudanças ao crescimento

O puerpério é também tempo para trocar impressões com o seu médico sobre contracepção; o facto de ter tido uma situação de infertilidade, obviamente dependendo da causa, não é garantia absoluta contra uma gravidez não planeada, logo a seguir ao nascimento dos gémeos!
Cuidar de gémeos não é fácil, por vezes podendo ser uma fonte importante de «stress».
Tente contactar com outros pais de gémeos; vai, concerteza, ganhar em tranquilidade com as experiências que outros já tiveram!

Descanse o mais que puder; deixe outros tratarem dos afazeres domésticos enquanto cuida de si e dos seus filhos. E tire partido de todo o tempo que estiver com cada um deles.
fonte: www.gaer.pt

Gravidez múltipla

Publicado em setembro 17, 2009
Podendo ser múltiplas as formas de transmitir («não é um, são dois!»; «não são dois, são três!») e receber a notícia («isto não me está a a...

Associado a este lado esotérico, a essência das velas é igualmente importante para criar reacções positivas ao nosso organismo.
As velas adquirem uma importância especial no nosso quotidiano. Antes relacionadas com práticas de bruxaria, ou com acontecimentos de cariz religioso, as velas foram ao longo do tempo conquistando um lugar de especial destaque na decoração do lar. Todavia, actualmente não servem apenas para embelezar uma mesa como também para perfumar o ambiente através das suas essências. E, esses aromas são, simplesmente, os responsáveis pelas funções benéficas que as velas proporcionam, quer seja para o ambiente como também para o próprio indivíduo!

A arte de fazer velas tem vindo a desenvolver-se em muitos locais, como é o caso do Brasil. Mas a vela, além da sua função decorativa, é agora, mais do que nunca, um método para atenuar ou prevenir determinados problemas no organismo de cada um de nós.
Essa "barreira" protectora, e a particularidade de implantar no ar e no indivíduo uma aura positiva e perfumada, é criada a partir dos aromas que a vela solta. Assim, e a partir dos desejos e das necessidades das pessoas, cada vela é criada com um intuito específico, recorrendo a aromas diversos para assegurar as exigências de cada um.

Essência de Canela: auxilia a controlar a agressividade, assim como modera o apetite da pessoa. Ideal para todos aqueles que têm uma actividade relacionada com o lado espiritual da vida.

Essência de Rosa: este aroma proporciona uma enorme calma e harmonia a todo o ambiente onde a vela for colocada. A todos aqueles que são especialistas ou estudiosos do plano esotérico, este é o aroma indicado de velas.
Essência de Lavanda: Útil para o estímulo da criatividade, da imaginação e do lado sensível das coisas. Ideal para as pessoas que ainda estão a estudar, esta vela com essência de lavanda é aconselhada a todos aqueles que estão na área do ensino ou arte.

Essência de Menta: Permite-lhe encontrar de uma forma mais clara o seu verdadeiro "eu". Muito aconselhada para a depressão, fadiga, cansaço ou qualquer forma de stress. Um aroma que possibilita a regeneração do indivíduo.

Essência de Violeta: Excelente para garantir a sua saúde física. Ideal para elevar a auto estima e implementar sentimentos de confiança e segurança. Promove um equilíbrio na vida emocional da pessoa, e afasta os fluídos negativos do ambiente e do indivíduo.
Essência de Alecrim: Excelente para trazer a paz necessária, quando se pretende esquecer experiências amorosas negativas. Combate o cansaço, auxilia a concentração e é indicada para se encontrar o caminho para o amor espiritual.
Essência de Cravo: Afasta o medo, a insegurança, auxiliando a capacidade física. Ideal para promover a auto estima, a essência de cravo está especialmente indicada para todos os praticantes de ioga ou de meditação.

fonte: mulher portuguesa

O termo stress foi usado pela primeira vez em 1936 pelo médico Hans Selye na revista científica Nature.

Basicamente, refere-se às consequências biológicas sofridas pelo corpo em resposta às ameaças físicas e emocionais, sejam elas reais ou imaginárias. Segundo Robert Bradford, também médico, o nível do stress oxidativo (aquele que produz radicais livres) pode ser classificado em quatro graus.

O primeiro, conhecido como stress fisiológico ou normal, é determinado quando a pessoa se confronta com um problema momentâneo que, apesar de poder aborrecê-la ou deixá-la ansiosa, a partir do momento em que for resolvido, esse factor de stress deixa de existir. Um exemplo seria quando marcamos uma reunião de trabalho e estamos atrasados ou quando experimentamos turbulência durante uma viagem aérea.

Assim que termina essa fase, tudo volta ao normal. Para que possamos estar preparados para este tipo de situações e ultrapassá-las sem sobrecarregar o organismo, é importante incluirmos na nossa dieta alimentos com grande potencial antioxidante, tais como as nozes, ameixas, uvas ou laranja, e beber bastante água.

O segundo grau de stress também é considerado fisiológico ou normal, no entanto, ao expor-se aos agentes agressores, ocorre uma maior excitação do sistema nervoso, com maior estímulo da glândula hipófise, que agirá sobre a supra-renal, aumentando temporariamente a libertação de adrenalina e cortisol, representado por estados passageiros de angústia, ansiedade, apatia, depressão e pânico.

Tal situação também é regulada pelo próprio organismo e pode ser combatida com uma boa alimentação, lazer e práticas de meditação. Já os graus três e quatro do stress oxidativo são observados quando os factores agressores se perpetuam ou se tornam crónicos, abalando drasticamente o equilíbrio próprio de defesa do corpo.

A partir daí, o sistema nervoso é excitado de forma persistente, havendo uma produção inadequada de ácidos gordos nos tecidos e grande descarga de adrenalina. Como consequência, as células do organismo morrem e o envelhecimento precoce surge, trazendo consigo as diversas doenças que lhe estão associadas.

O estímulo prolongado da adrenalina altera várias hormonas, afecta a imunidade e diminui a absorção de magnésio, potássio, cálcio e açúcar, podendo contribuir para o desenvolvimento de alergias, inflamações, anorexia, obesidade, degenerações e outras patologias crónicas.

O tratamento para combater essa fase deve ser multidisciplinar, iniciando-se pela ingestão de alimentos antioxidantes e que contenham boas quantidades de substâncias que auxiliam na produção de serotonina, tais como o triptofano (arroz integral, chocolate preto, leite, nozes, peixe), fenilalanina (abacate, amêndoas, carnes, leite e ovos), ómega 3 (salmão, atum, sardinha, soja), vitamina B (iogurte, lentilha, mel) e minerais (brócolos, espinafre). Também a suplementação à base de aminoácidos, vitaminas e minerais é imprescindível, assim como as práticas de lazer, meditação e desporto.

fonte: sapo

- Antes de pintar os lábios, cubra-os com uma base corretora e uma nuvem de pó.


- Utilize sempre um lápis delineador para definir e corrigir os contornos e para encher toda a superfície do lábio.


- Aplique o baton com a ajuda de um pequeno pincel plano, uma ferramenta muito eficaz mas pouco popular.


- Se tiver pressa, aplique a cor, pressione com um lenço de papel sobre os lábios e volte a pintá-los.


- Se não quiser que os dentes se sujem com o baton, meta o dedo indicador na boca, pressione os lábios e tire o dedo sem os abrir.


- A combinação de fórmulas em pó com um gloss ou brilho garantem a duração da cor.

fonte: truques de mulher


Ingredientes

400 g tagliatelli
1 molho de manjericão fresco
1 dente de alho
50 g pinhão
1 dl azeite
Queijo ralado: q.b.
Sal: q.b.
Preparação

Colocar no liquidificador as folhas de manjericão fresco, o alho, o pinhão, o azeite, o sal e o queijo ralado. Ligue a máquina até ficar tudo triturado.
À parte, coza a massa até ficar al dente.
Depois é só juntar o molho à massa e servir.

Sugestões Pode comprar um frasco de pesto já preparado, é ainda mais fácil!

fonte. sapo



- O truque é escolher um corrector com um tom semelhante ao da base, ou então discretamente mais claro para dar um efeito mais luminoso.

- Coloque um pouco de corrector no topo de uma cotonete e aplique onde é preciso (debaixo da linha do olho,borbulhas, sinais e cicatrizes).De seguida, esbata com o dedo.

- Para corrigir olheiras, coloque um pouco de corrector no dedo e espalhe, esbatendo, em toda a área da olheira.

- Por cima da base e do corrector, deve espalhar pó de rosto, para prolongar o efeito dos produtos aplicados. O pó pode ser solto ou compacto e deve ser ajustado ao tom da base.

- Passe um corrector de olheiras quer pela zona inferior dos olhos, como pelas rugas de expressão que contornam a base do nariz e vão até ao canto do lábio inferior. Só depois é que deve aplicar uma base fluída, de modo a uniformizar o tom da pele, sem a ressecar.

- Se o corrector de olheiras se acumular nas rugas, com um cotonete ligeiramente embebido em água micelar desmaquilhante limpe delicadamente com movimentos de rolamento, sem esfregar. Uniformize com a ponta do dedo anelar, com pancadinhas.

- Para evitar que ele volte a acumular nas rugas, estique ligeiramente a pálpebra ao aplicar o corrector e a seguir, ainda com a pálpebra esticada, fixe com um pouco de pó solto transparente.

fonte: truques de mulher

Entre cores, texturas e formatos, muitos são os pormenores a ter em conta. Siga as sugestões de uma especialista em imagem e os conselhos de um cirurgião vascular e fique a saber o que mais a favorece em cada situação: COLLANTS

Os modelos mais recomendados

«Os collants opacos (50 a 70 deniers) e semi-opacos (40 deniers) têm vindo a ganhar destaque», diz Alexandra Simões de Carvalho, personal stylist. As cores podem ser neutras (preto, castanho- chocolate e cinza) ou vivas (violeta, roxo, azul forte, verde floresta, cerise e amarelo ocre).

Materiais a escolher

Poderá optar entre a malha de lã ou algodão e a microfibra (opacos e semi-opacos), e a malha de mousse ou a lycra (transparentes). Quanto a texturas, os modelos lisos ganham vantagem face aos padrões, todos eles de estilo urbano e inspiração british.

O look certo

«Os collants transparentes com marcação atrás são um clássico que continua em alta, num registo elegante e sofisticado», salienta. Para um estilo informal, «os collants opacos e semi-opacos em malha de microfibra ganham vantagem, nas cores neutras e discretas. As texturas lanosas e de algodão, assim como as leggings, devem ser reservadas para contextos informais e de lazer», diz.

MEIAS PELA COXA
Os modelos mais recomendados

As meias pela coxa podem ser de liga, com banda aderente ou subidas sem banda aderente (estas últimas tendem a deslizar pela perna). As meias de liga devem ser usadas estritamente com saias e vestidos de tecidos estruturados.

As meias com banda aderente podem ser combinadas com saias e vestidos de tecidos mais finos, uma vez que ficam invisíveis sob os mesmos. As cores variam entre o tom de pele, o cinzento, o azul-escuro ou o preto.

Materiais a escolher

Para a especialista, «os materiais vão depender da densidade das meias, sendo o mais comum, pela resistência e efeito, a lycra». Existem nas versões opacas ou transparentes com efeitos que vão desde o canelado, ao espinhado, passando pelo rendado.

O look certo

«Quanto mais formal for o contexto, mais finas e discretas deverão ser as meias», sublinha. Opte por meias lisas ou com marcação na perna, em contextos formais, e por versões semi-opacas, em situações profissionais.



MEIAS PELO JOELHO Os modelos mais recomendados

As meias pelo joelho são um clássico que se mantém a cada estação, variando apenas nas versões apresentadas. Alexandra Simões de Carvalho aconselha a, «no caso de pretender ganhar altura de perna, coordenar a cor destas meias com a da calça e dos sapatos».

Materiais a escolher

Poderá optar entre as versões lisas (opacas ou transparentes), que deverão ser usadas com calças, um básico em qualquer guarda-roupa. Se preferir algo mais ousado, escolha meias com padrões marcantes (losangos, xadrez, tartan, riscas e florais) ou texturas (rendado ou canelado).

O look certo

«Em ocasiões formais, use modelos mais finos e transparentes, no entanto, se preferir um look profissional moderno e sofisticado, prefira versões com texturas, em especial as rendadas», refere a personal stylist. Os padrões, em especial as riscas, xadrez e tartan, são ideais para contextos informais.
CUIDADOS ESPECIAIS

Para além do estilo, na hora de escolher umas meias deve ter em conta dois aspectos. O seu tipo de perna e eventuais problemas existentes, como pernas cansadas e varizes.
Segundo Paulo Correia, cirurgião vascular, «é necessário que as mulheres que sofram de cansaço extremo tenham algumas precauções, como o uso de meias de descanso com compressão 70 deniers (como medida profilática) ou 140 deniers (para pernas cansadas ou pesadas, varizes simples, varizes de gravidez ou pós-parto, profilaxia das tromboses venosas)».

Este tipo de meias, fabricado com um elástico em espiral com vista a aliviar a carga na zona das pernas, deverá ser adquirido em lojas de ortopedia especializadas. Quanto à estética, não se preocupe… há meias terapêuticas de todos os materiais, cores, brilhos e até com aplicações de cristais.

fonte. sapo mulher

Não existe uma cultura de cuidados odontológicos em Portugal e a fraca comparticipação do Serviço Nacional de Saúde neste tipo de tratamentos não ajuda.

Mas, afinal, quais os principais problemas de saúde oral? Tudo começa com a formação da placa bacteriana nos dentes, junto às gengivas, “por acumulação de bactérias, componentes da saliva e resíduos alimentares”, observa Pedro Mesquita, médico dentista do Departamento de Medicina Dentária da Clínica Saúde Atlântica, no Porto. Explica-nos que, quando esta “película macia, de cor branco-amarelada,” não é removida através das “rotinas de higiene oral diária” torna-se progressivamente mais espessa e endurece, convertendo-se no resistente e inestético tártaro. Este “resulta da calcificação da placa bacteriana” e, no limite, pode originar problemas de saúde oral, como cáries dentárias e inflamação das gengivas.
Por isso, e antes que seja tarde, convém recorrer a uma consulta especializada para tratar da sua remoção, o que é feito em consultório, com instrumentos adequados. É um tratamento simples e indolor.

A cárie dentária é uma doença “causada pela desmineralização dos tecidos duros dos dentes – esmalte, dentina e cimento – devido à produção de ácidos pelas bactérias presentes na cavidade oral”. Somente um hábito mais ou menos regular de consultas da especialidade poderá evitar o pior, uma vez que este quadro clínico pode ser diagnosticado através de radiografia.

A gengivite é outro dos problemas de saúde oral. Menos falada, contudo não é menos comum. Trata-se de “uma inflamação das gengivas causada pela presença de placa bacteriana e/ou de tártaro”, explica Pedro Mesquita, esclarecendo que os sintomas mais comuns são as gengivas sensíveis, a dor e o sangramento.
Quando não tratado, o problema “pode evoluir para uma periodontite, sendo, nestes casos, afectado o ligamento periodontal e o osso alveolar, estruturas que suportam os dentes na cavidade oral”. O limite é a perda dos dentes.
Para além dos danos enumerados, estes problemas podem ser igualmente responsáveis por situações de halitose, isto é, o mau hálito.

A falta de hábitos de higiene oral, aliada ao consumo excessivo de determinados alimentos, de todos os factores, o que mais contribui para a cárie dentária e a inflamação das gengivas.

Os alimentos ricos em hidratos de carbono (açúcares) refinados, de acordo com o médico dentista, favorecem a formação de placa bacteriana, a produção de ácidos pelas bactérias e a “consequente desmineralização das estruturas dentárias. E a acidez dos alimentos e bebidas provoca directamente a desmineralização dos dentes”.

Pelo contrário, é importante apostar “em alimentos fibrosos”, por exemplo. Um dos mais benéficos, segundo o especialista, “é a maçã”, pois funciona em mais do que um campo simultaneamente, e em vários sentidos . “As maçãs promovem a limpeza mecânica dos dentes, justificando a crença popular de que devemos terminar uma refeição com uma maçã e não com um doce”, observa o especialista.

Quanto aos cuidados com os dentes e a boca, estes devem fazer parte do ritual diário e ir muito além de escovar os dentes duas vezes por dia, concordam os especialistas em Odontologia. O ideal é estabelecer um “programa de três passos fundamentais: escovar os dentes duas vezes por dia durante dois minutos, utilizar o fio dentário pelo menos uma vez ao dia e bochechar duas vezes por dia com um elixir durante 30 segundos”.
Sobre o terceiro passo, esclarece: “Ao contrário dos meios mecânicos, a formula líquida de um elixir é a única maneira de atingir todas as superfícies da cavidade oral, ter acesso a todos os locais onde habitualmente se escondem as bactérias.”

Agir rapidamente • A acidez e a desmineralização dos dentes pode ser combatida com dentífricos e elixires contendo flúor • O mau hálito é causada por problemas na cavidade oral. Uma boa higiene diária e a visita regular a um profissional de saúde pode conter o problema • A escovagem e a utilização do fio/fita dentária realizam uma limpeza mecânica dos dentes que se completa pela acção fisiológica de limpeza realizada pela língua e saliva.

fonte. máxima

Elas têm propriedades que ajudam a manter a beleza e a purificar por dentro.
Fazer tratamentos de beleza caseiros pode ser divertido e até melhorar a aparência.
Quem é que não tem uma tia ou avó que de vez em quando relembra truques e receitas de beleza usando ingredientes da cozinha?E pode ter certeza que eles são eficientes.

As frutas são campeãs nos tratamentos de beleza. Até a indústria de cosméticos já se rendeu ao poder delas. A cada dia que passa, os grandes laboratórios nacionais e internacionais aperfeiçoam métodos para aproveitar ao máximo as matérias primas, ou seja, substâncias activas de plantas e frutas que trazem benefícios para beleza.

Então, por que não aproveitar, em casa, o que as frutas podem trazer de benefício? Você pode consumi-las recém saídas do supermercado ou do pé; pode fazer sumos, usar para cozinhar ou aplicá-las em máscaras caseiras. As frutas têm muitas propriedades que ajudam a manter a beleza e a purificar por dentro.

Saiba as vantagens de algumas frutas para que sua dieta seja mais adequada ao que você precisa:



- Manga: Purifica o sangue e é boa para a pele.
Ajuda no tratamento da acne.

- Limão: Por ter muita vitamina C, favorece a circulação, cura resfriados e faz bem para o estômago. Ajuda a curar as úlceras da boca.
- Laranja: Rica em vitamina C, é energizante, laxante e previne infecções.
- Framboesa: Tonificante, vigorizante e desitoxicante.
- Kiwi: Possui muita vitamina C, é antioxidante e laxante.
Ajuda nos tratamentos contra a tensão, a depressão e as desordens digestivas.
- Melão: Com muita vitamina A, é bom para a pele e ajuda a manter o bronzeado intenso.- Abacaxi: Favorece a digestão e purifica o organismo.
- Uva: Ajuda a combater a anemia e a fadiga. Previne o cancro e reduz o nível de colesterol no sangue.
Também ajuda a limpar e a regenerar o organismo.
Mas antes de mais nada, informe-se! As misturas caseiras estão liberadas desde que esteja muito bem informada sobre o que usar, como usar, por que usar. O problema é que muita gente ignora que frutas, legumes e outras substâncias contêm princípios activos que podem provocar manchas na pele, irritações e até alergias.

A saída é usar apenas ingredientes que os dermatologistas consideram inofensivos, deixando a tarefa de inventar cremes anti-rugas ou contra estrias para a indústria cosmética. Fique linda.
fonte. www.gforum.tv

Fique linda com o poder das frutas.

Publicado em setembro 09, 2009
Elas têm propriedades que ajudam a manter a beleza e a purificar por dentro. Fazer tratamentos de beleza caseiros pode ser divertido e até ...

25 Truques de Empresários para Empresários


É preciso muita capacidade de sacrifício para conseguir passar os primeiros anos. Para a ajudar, deixo aqui as melhores dicas de quem tem anos de experiência.



1 – Não trabalhe por menos do que acha que merece, nem venda produtos por menos valor do que pagou por eles, mas ofereça sempre descontos a clientes que assinem contratos consigo.

2 – Encontre uma loja que dê as suas referências aos clientes. Mas se eles lhe enviam trabalhos de pesadelo, certifique-se de que também lhe vêm parar às mãos alguns dos bons.

3 – Cerque-se de pessoas que a apoiem emocionalmente, e não se deixe desencorajar por ninguém. Se a sua ideia é boa e tem potencial, se tem meios de assegurar a subsistência durante os primeiros anos, as hipóteses de sucesso são enormes.

4 – Seja flexível nos seus ideais. Prepare-se para mudar a forma como encara as coisas e como funciona com o seu negócio, os produtos que vende ou os serviços que presta, de forma a preencher os requisitos dos seus clientes.

5 – Admita os erros, corrija-os e continue em frente. Se comprou uma peça de equipamento que não está à altura das expectativas, venda-a, troque-a ou devolva-a.

6 – Desenvolva uma boa relação com os seus bancos e credores. Mostre um interesse sincero em resolver os problemas. Pague sempre o máximo que puder a todos os credores.

7 – Treine-se! Vai passar muito tempo a fazer coisas que nada têm a ver com a sua área de experiência, como fazer a sua própria contabilidade, relações de marketing e publicidade e resolver os seus problemas com o computador.

8 – Evite o completo isolamento. Mesmo que trabalhe de perto com os seus clientes não é o mesmo que trabalhar com colegas de uma empresa. Desenvolva uma rede de amizades com outros empresários, para trocarem ideias, experiências e conhecimentos.

9 – Separe a vida pessoal do trabalho que desenvolve. Estabeleça um horário consistente para a sua vida pessoal e quando não estiver disponível para os clientes , grave uma mensagem e deixe que seja o atendedor de chamadas a atender, com as indicações de quando irá responder à chamada. Não deixe de indicar aos seus clientes a forma como eles podem entrar em contacto consigo em caso de emergência.

10 – Estabeleça um plano de trabalho para cada dia. Se vai preencher a sua agenda com actividades a cada segundo, o seu negócio nunca mais vai conhecer desenvolvimentos.

11 – Escreva um plano de negócios, de forma a saber a cada momento o que fez durante o ano.

12 – Seja sincera com os clientes e corrija rapidamente qualquer problema.

13 – Confirme pessoal e imediatamente as encomendas que lhe chegam por email.

14 – Peça informações às entidades respectivas acerca da melhor forma de obter vantagens fiscais para si e para os empregados.

15 – Quando encontrar alguém mais esperto e expedito do que você, contrate-o.

16 – Solicite conselhos a pessoas com mais experiência.

17 – Nunca entre em negócios ou parcerias em coisas de que não sabe absolutamente nada ou vai ter de levar o dobro do tempo para se adaptar e aprender acerca do negócio.

18 – Comece com uma carteira de clientes fixa, a nível local.

19 – Tenha em conta que as reservas monetárias se vão acabar rapidamente, por isso faça render o seu dinheiro pelo menos até ao segundo ano do negócio.

20 – Foque a sua atenção num objectivo e concentre-se nele até o conseguir alcançar.

21 – Não se preocupe com a forma como irá conseguir ter as coisas feitas enquanto ainda se está a debruçar sobre a ideia geral. O dinheiro e os recursos virão naturalmente depois de ter definido o seu objectivo.

22 – O seu principal objectivo (depois da ideia do negócio) deverá ser sempre proporcionar um serviço de primeira e produtos de qualidade.

23 – Use e abuse da Internet. Construa um site, mantenha um email disponível e invista algum dinheiro na publicidade on-line.

24 – Delegue algumas funções em pessoas realmente qualificadas. Poderá ter de contratar um advogado ou profissional de marketing.

25 – Nunca deixe para amanhã o que tem de fazer hoje.


fonte. mulher potuguesa