Quantas vezes lhe disseram que, para se acalmar, o melhor é respirar fundo? E de todas em que seguiu este conselho conseguiu ou não aliviar o ânimo e controlar a energia? Se é certo que sim, porque não o faz no quotidiano?


A resposta é simples: 
porque raramente se lembra que está a respirar. Como um automóvel preso no trânsito, a nossa respiração tornou-se soluçante, composta por uma sucessão de pára-arranca superficiais. Um autêntico desperdício de oxigénio, dizem há séculos os ensinamentos do Yoga, confirmados, nos últimos anos, por diversas pesquisas científicas. Respirar lenta e profundamente é um dos melhores caminhos para atingir a serenidade, bem como para aumentar a vitalidade do organismo.

FIM DOS RESÍDUOS TÓXICOS
O primeiro passo para a conquista de uma respiração de qualidade é lembrar--se que pode controlá-la. De facto, esta é uma das poucas funções do corpo que pode ser submetida à nossa vontade. Chega de respirar levemente como quem tem medo de encher os pulmões. Ao fazê-lo usa apenas uma parte destes órgãos, levando a que resíduos tóxicos acumulados não sejam completamente expelidos. Resultado? Sintomas como fadiga, ansiedade, mãos e pés frios, irritabilidade, falta de concentração, memória fraca ou dependência de estimulantes, como o café ou o açúcar, começam a fazer parte do quotidiano, sendo consequências típicas da privação diária de oxigénio. Uma respiração em profundidade também estimula e massaja os órgãos internos, tonifica o diafragma e os músculos abdominais. O que significa maior bem-estar geral. E poderá até aliviar problemas como dores de cabeça, asma ou sinusite.

ENCHER A BARRIGA

Para respirar bem, não chega a parte superior da caixa torácica. Há que recorrer ao diafragma e aos abdominais. Ou seja, utilizar a barriga para receber o oxigénio. Nada de extraordinário se pensarmos que era assim que respirávamos em bebés e provavelmente ainda é assim que o fazemos durante o sono profundo. O que quer dizer que a solução é treinar o nosso corpo para, de forma controlada, recuperar essa respiração natural.

No próximo fim-de-semana, faça um passeio junto da natureza, inspirando e expirando profundamente e com calma. Outra alternativa? Algumas gotas de óleo essencial de eucalipto, pinheiro ou cipreste num queimador e o mesmo método respiratório.
fonte: máxima

Sem comentários:

Enviar um comentário