Gosta de estar na moda?







Estar na moda  não é vestir-se com as últimas tendências.

Ao contrário, estar na  moda  é adaptar o seu  estilo,  corpo  e modo de vida ao que vulgarmente se diz “em voga”. A pessoa que usa tudo o que vê nas montras, corre o sério risco de ficar ridícula ou, pelo menos, demasiado “apelativa”.



Com o passar do tempo os média têm moldado as pessoas, deixando-as sobre um mesmo padrão de vida. Os mesmos actos, as mesmas roupas, as mesmas vontades, os mesmos caminhos... Na prática é como se vivêssemos dentro de um anúncio da televisão. Sim, porque hoje são eles que ditam o nosso dia a dia, dizendo o que vestir, o que comer, o que fazer, onde ir; e absorvemos todas estas informações, mesmo sem a menor intenção. 



Quando nos apercebemos estamos a usar aquela blusa amarela com bolinhas azuis que determinada actriz usou para um filme ou telenovela, para seduzir aquele actor que considera bonito, tão elegante… Mas a verdade e que nem sequer gosta da blusa! São tudo efeitos psicológicos produzidos por uma gigantesca máquina que se chama Marketing.



Aqui reside o factor “força de vontade”, ou “vontade própria”. Não interessa o que a sociedade impõe; nós é que devemos impor as nossas vontades, porque a moda existe para todos os estilos, e apenas necessitamos de encontrar o melhor que se adequa a cada um de nós. Mais, lembre-se que o que veste diz muito sobre a sua pessoa... Seguir uma tendência só porque ela está em alta, significa negar o seu próprio estilo, a sua personalidade, o seu eu.



Claro que o fundamental e sentir-se bem com a sua pessoa, nem outra coisa seria de esperar.  Andar na moda factor fundamental é que quando vestir algo seja adequado a ocasião, porque convenhamos: não pode chegar a uma festa de luxo de sapatilhas e calças de ganga simplesmente porque se sente bem. O mínimo de lógica.



Por exemplo, muitas vezes queremos imitar os nossos colegas da escola ou do emprego. Aquelas calças justas, os sapatos de salto alto superfinos, os brincos que apesar de vistosos são fantasia… Agora pense que pesa mais um quilo, ou tem uma unha do pé encravada, ou ainda e alergia a bijutaria. Pois é: ficava ridícula com as calças, iria sofrer porque o seu pé não lhe iria dar descanso, e por fim não demoraria a ir ao dermatologista por causa das alergias. Pergunte a si mesma: será que os meios justificam os fins? Ou terei outra solução menos dolorosa e igualmente satisfatória?



Vamos deixar aqui algumas ideias que consideramos ideais para nunca perder o rumo, e de facto andar vestida como deve ser:


- Verão é sinónimo de bem-estar, leveza. Então abuse do termo com cores, formas, leveza, atitude, curtos.




- Se e uma mulher de estatura baixa use vestidos, sandálias com leve salto e não salto de 12 cm. Deixe isso para as passerelles porque de certeza cai no ridículo. Pelo contrário, mulheres altas usem e abusem das saias, vestidos curtos, tops e shirts. Nada de saltos altos: sapatilhas ou sandálias são o ideal para a praia, e um sapato raso para o dia a dia.




 Cuidado: sensualidade não está no centímetro da roupa, mas sim na elegância e bem estar.




- Maquilhagem com cores tropicais.





- Combinar a carteira com os sapatos é algo que já caiu em desuso, mas pode usar se for com elegância. E hoje até é chique usar sapatos com cores diferentes das carteiras. Esta deve  combinar com o vestido, a camisa, a blusa ou o casaco.






 - Jeans. O que usar? Agora usam-se os jeans rectos, justos, com cintura baixa mas sem exageros. Cintura baixa está proibida para as mais gordinhas ou ainda para quem tem aquele “pneuzinho” uma vez que fica tudo fora das calças e isso não fica nada bem.





- Os homens também têm direito a andar bem vestidos e elegantes. Existem no mercado casacos de linho leves e frescos, e não pense que escolher sapatos que combinem com o cinto fica chique. Preocupem-se antes com a camisa. Esta deve transmitir energia, ter cores claras, ser frescas, pois são as mais adequadas para esta época.







- Fato e gravata no verão para homem não são fáceis. Evite andar todo “apertadinho”: deixe o botão do colarinho desabotoado e alargue um pouco a gravata. Por mais incrível que pareça, elas consideram isso… “Sexy”.



Depois destas ideias algo tem forçosamente que ser dito: anda na moda, é chique, elegante… Não se esqueça que ninguém é chique sem ser civilizado. Por isso, nada de deitar papéis e objectos na rua (inclui pontas de cigarros), desrespeitar idosos, enfim, querer ser o senhor absoluto do mundo.


tendenciasonline

Sem comentários:

Enviar um comentário