Ainda pode comprar em saldos até 15 de Setembro mas veja aqui algumas dicas para não se perder


Não podem vender-se em saldo artigos propositadamente comprados para esse efeito. 
Mesmo em saldo, os artigos com defeito devem ser claramente indicados. 
Se existir a indicação de que o artigo tem defeito, o consumidor que o compra aceita-o.
Se essa indicação não existir, aplica-se a regra das compras normais. 
Podem fazer-se óptimas compras em saldos se se agir com tempo e bom senso.

Verifique com antecedência o tipo de artigos de que precisa realmente, quais são os que vale a pena comprar em saldo (peças de vestuário de estilo clássico, roupa de casa, por exemplo) e procure saber que lojas vão saldar aquilo que quer.
Não se deixe tentar por pechinchas de que não precisa e de que nem sequer gosta.
Nunca se esqueça de que os seus direitos, ao comprar em saldos, são os mesmos que ao comprar a preço normal, digam o que disserem os cartazes expostos na loja.

Os bens devem ter qualidade comerciável, ser adequados ao objectivo a que se destinam e estar em conformidade com a descrição inscrita na embalagem.
 No caso de ser necessário devolver quaisquer artigos, faça-o rapidamente.
Verifique os artigos comprados em saldo logo que chegar a casa.
Não os deixe na embalagemdurante alguns meses, esperando então que lhos troquem sem hesitar.
Tenha cuidado com as seguintes expressões que tentam induzir os compradores em erro: “Não trocamos artigos em saldo.”Isto não é verdade.
 Se o artigo tiver defeitos, devolva-o e peça que lho substituam ou que lhe devolvam o dinheiro, a menos que tivesse sido possível ver logo o defeito na loja ou que o facto de os artigos terem defeito estivesse assinalado, como a lei exige.
“Não devolvemos dinheiro por artigos comprados em saldo.”Não é verdade.
Se os artigos tiverem defeito, pode pedir que lhos substituam ou que lhe devolvam o dinheiro. Não é obrigado a aceitar uma nota de crédito para gastar na loja em data posterior. “Preço a retalho recomendado: 25€. Nosso preço: 15€.”
Nos artigos em saldo é obrigatória a indicação do preço anterior e o preço de saldo.
Regras de ouro para comprar nas lojas.
 Nunca compre nada que não queira e de que não necessite realmente.
Anote na sua agenda as medidas dos membros da sua família.
Se precisa de cortinas novas ou de papel de parede, aponte as quantidades exactas de que necessita — se comprar a menos, para além do incómodo que uma nova deslocação representa, corre o risco de o artigo que pretende se ter esgotado e o trabalho ficar incompleto.
Antes de comprar equipamento de cozinha e mobiliário, verifique se tem espaço para o colocar e como vai fazê-lo entrar em sua casa.
Examine cuidadosamente os artigos sujos de pó ou com imperfeições.
 Estes, por vezes, são “pechinchas” compradas especialmente pelo dono da loja e podem estar tão manchados que nunca se consiga vir a limpá-los completamente. Tenha sempre cuidado com as ofertas de crédito. Verifique os juros que terá de pagar.

fonte. selecções

Sem comentários:

Enviar um comentário